top of page
Buscar

Detecção de Amaranthus palmeri no Mato Grasso do Sul


Pela primeira vez foi identificada a presença de Amaranthus palmeri fora do Estado do Mato Grosso. A identificação ocorreu em uma propriedade rural com cultivo de soja no distrito de Porto Caiuá, município de Naviraí-MS.


Através de amostras coletadas pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do Estado do Mato Grosso do Sul (IAGRO), foi comprovada a presença desta planta invasora por meio de técnica molecular (sequenciamento genético) realizada pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária do MAPA, em Goiânia (FFDA-GO).


A. palmeri é uma planta daninha exótica, originária dos Estados Unidos e México, é considerada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento como Praga Quarentenária Presente para o Brasil. A primeira detecção no país ocorreu em 2015, no Estado do Mato Grosso. Tem risco potencial de reduzir a produtividade de soja, milho e algodão em até 90%. Seu difícil controle se deve principalmente às suas características bioecológicas e aos casos de resistência a herbicidas de diferentes mecanismos de ação.


É imprescindível que os produtores, órgãos de fiscalização agropecuários brasileiros e toda cadeia do setor agrícola estejam atentos ao manejo adequado desta espécie para evitar a disseminação em áreas ainda não infestadas.


Portanto, é necessário adotar algumas medidas fitossanitárias, como:

- Monitoramento quinzenal nos cultivos agrícolas;

- Em caso de presença de plantas de caruru com resistência a herbicidas, ensacar a planta antes do arranquio, para evitar dispersão de sementes e promover a incineração do material vegetal;

- Em talhões infestados promover a desinfestação do maquinário agrícola na propriedade rural, antes de utilização em outra área sem a ocorrência da praga;

- Restringir o trânsito de maquinários (caminhões, implementos e colhedora) de fora da propriedade rural.


Além disso, é muito importante realizar rotação de culturas, arranquio manual, programação da colheita na época certa, limpeza de maquinários, uso de plantas de cobertura, revolvimento do solo, estratégias de controle químico e monitoramento de plantas daninhas resistentes.


Em caso de suspeita da presença de A. palmeri na região, comunicar às autoridades sanitárias, estadual (IAGRO) ou federal (SFA-MS/MAPA) mais próxima.



Saiba mais sobre Amaranthus:



Foto: Howard F. Schwartz, Colorado State University, Bugwood.org


Comentarios


bottom of page