SOBRE O HRAC

Institucional

O desenvolvimento de biótipos de plantas daninhas resistentes a herbicidas é uma preocupação de toda a comunidade interessada na produção agrícola: agricultores, consultores, autoridades e indústria.

De um modo geral essa resistência não se limita a um produto específico, mas tende a abranger todos os produtos com mecanismos de ação semelhantes.

Por isso, dentro da Federação Global de Proteção de Plantas = GCPF (anteriormente GIFAP), formou-se em 1989 um grupo de especialistas, ligados à indústria, denominado Herbicide Resistance Action Committee = HRAC.

O HRAC é reconhecido como organismo consultor pela Organização de Agricultura e Alimentação (FAO) e pela Organização Mundial de Saúde (WHO) das Nações Unidas.

Por outro lado, o HRAC-BR é a Associação Brasileira de Ação a Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas, que é dedicada ao fomento à pesquisa, treinamento, divulgação e desenvolvimento de trabalhos na área de resistência de plantas daninhas aos herbicidas. Embora não subordinado, o HRAC-BR mantem relações com outras entidades semelhantes, bem como com o HRAC (internacional), com a Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD), com o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Defesa Vegetal (SINDIVEG), Associação Nacional de Defensivos Agrícolas (ANDEF), Associação Brasileira dos Defensivos Genéricos (AENDA), dentre outras.

 

Dentro deste contexto, os objetivos e finalidades do HRAC-BR são:

 

Monitorar a Evolução de Plantas Daninhas resistentes aos herbicidas, avaliando o seu impacto, Promover o Efetivo Manejo da Resistência dessas, especialmente por Recomendações, objetivando mitigar seus efeitos, bem como Promover o Uso Responsável de Herbicidas, a Prevenção da Resistência de Plantas Daninhas a Herbicidas e Definir Estratégias de Manejo Integrado de Plantas Daninhas Resistentes;

 

Promover, incentivar e fomentar estudos e pesquisas científicas nas áreas de biologia e manejo integrado de plantas daninhas, dinâmica e comportamento de herbicidas quanto aos seus diferentes grupos químicos, modos e mecanismos de ação, visando o aumento da vida útil desses herbicidas e sua efetividade por meio da prevenção e mitigação dos problemas de plantas daninhas resistentes nas diferentes culturas agrícolas;

 

Promover debates e atuar como um dos principais meios de comunicação compartilhando informações e conhecimentos sobre os problemas técnico-científicos relacionados a resistência de plantas daninhas aos herbicidas no Brasil e no mundo, atuando assim como uma associação consultiva pró-ativa sobre esta temática.

 

Manifestar-se proativamente, publicamente ou não, independentemente de consulta, por qualquer meio que entender necessário e, ou, a quem quer que seja, sugerir ações, bem como oferecer informações, formar opinião e, também ser um órgão consultivo, sempre em função dos problemas técnico-científicos relacionados à resistência aos herbicidas no Brasil e, ou, internacionalmente;

 

Coordenar e fazer mais efetivos os esforços da indústria para prolongar a vida dos herbicidas em face de resistência, por meio das definições e recomendações de estratégias técnicas apropriadas dos herbicidas visando a prevenção e mitigação dos problemas de resistência de plantas daninhas a herbicidas.

 

Estabelecer e promover relacionamento com pesquisadores, no campo da resistência de herbicidas, por meio de seminários, conferências, projetos de pesquisa, etc., de forma conjunta.

 

O HRAC-BR apoia a criação de novos grupos de atuação regional, nacional e internacional que compartilhem e corroborem dos mesmos objetivos e finalidades, visando assim promover as boas práticas agrícolas para prevenção e mitigação dos problemas de plantas daninhas resistentes aos herbicidas nas diferentes culturas agrícolas.

1/2

Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas

HRAC-BR - 2019

Desenvolvido por Oxya Agro e Biociências