Buscar

Fatores Bioecológicos que interagem no desenvolvimento da resistência de plantas daninhas


Os fatores bioecológicos determinantes no aparecimento de biótipos de

plantas daninhas resistentes aos herbicidas estão relacionados com as

características da planta daninha, como o tempo do ciclo de vida da espécie

de planta daninha, além do tamanho populacional.


As principais características bioecológicas das plantas daninhas que conduzem

a um rápido desenvolvimento da resistência são: ciclo de vida curto, elevada

produção de sementes, baixa dormência da semente, várias gerações

reprodutivas por ano, extrema suscetibilidade a um determinado herbicida e

grande diversidade genética.


Das características que não favorecem o desenvolvimento da resistência

destacam-se: plantas daninhas de ciclo de vida longo, pressão de seleção

incompleta pelos herbicidas, baixa adaptabilidade ecológica dos biótipos

resistentes, dormência prolongada das sementes no solo, plantas daninhas

perenes com tecidos de reprodução vegetativa. Os fatores envolvidos no lento

desenvolvimento da resistência aumentam o número de biótipos suscetíveis

na população.


O número ou densidade das plantas daninhas é muito importante porque,

como se considera que plantas resistentes ocorrem naturalmente em

populações de plantas daninhas, quanto maior a densidade dessas plantas,

maior a chance de que alguns indivíduos resistentes estejam presentes.


Portanto, o monitoramento e o manejo de plantas daninhas contribui para

retardar o aparecimento de biótipos resistentes a um determinado herbicida,

mantendo-se baixa a frequência deste biótipo por um tempo maior e,

consequentemente, auxiliando na durabilidade da eficácia do herbicida.


Confira em nosso site mais informações sobre o assunto!